Retomando nosso bate papo sobre Marketing de Atração, ainda na etapa de Conversão, vamos ver as melhores práticas para criar uma Chamada para Ação matadora.

Antes, como sempre, vamos recapitular o que vimos sobre Inbound Marketing…

Fundamentos do Inbound Marketing

Atração

Conversão

Esta será então uma segunda publicação sobre a fase de conversão e falaremos especificamente da maneira correta de criar uma Chamada Para Ação.

Boas práticas para criar uma Call To Action

A primeira coisa que é preciso ter em mente é a seguinte…

A CTA precisa ser orientada para a ação!

Uma chamada para ação precisa deixar claro par que servirá o clique nela. O usuário precisa saber o que ele vai ganhar ao clicar em seu botão ou em seu link.

A ideia é não fazer com que seu usuário tenha que pensar demais para entender o que eles precisam fazer! Deixe isso claro pra ele!

Uma boa maneira de deixar a Chamada Para Ação direta é usando verbos claros como “Baixe”, “Inscreva-se”, “Faça”, “Receba” e etc.

Uma outra coisa que fazemos é certificar de que o tamanho da CTA não seja muito grande. Ela precisa ser curta, objetiva. Ela provavelmente não fica legal ocupando metade da sua página.

Geralmente evitamos textos longos nas Chamadas Para Ação até porque, apesar de toda sua importância, ela é um item secundário quando comparada com o conteúdo do seu site.

Aqui ainda é válido fazer alguns testes com os verbos. É possível testar uma série de comandos para identificar qual funciona melhor para sua persona.

Utilizamos palavras-chave compatíveis com a CTA

Não adianta criar uma Chamada Para Ação assim “Baixe o Guia”.

Qual guia? Guia de quem?

Se for um guia de limpeza de piscinas, por exemplo, a ideia é fazer a CTA assim: “Baixe nosso Guia de Limpeza de Piscinas”.

Parece óbvio né? Mas se você passar a observar vai ver que existe uma série de sites que não levam esse ponto muito a sério…

A Call To Action precisa chamar atenção

Não existe uma regra definitiva aqui. Fazer uma CTA que chame atenção não significa usar determinada cor ou um tamanho específico.

O usuário precisar ser capaz de entender que ele precisa clicar ali!

Normalmente os usuários conseguem identificar itens clicáveis como botões e links.

O ideal é levar em consideração a persona em questão pois ela pode preferir algo brilhante e que pisque freneticamente, (vai entender…) mas pode preferir algo minimalista e discreto.

Uma boa prática na hora de desenvolver estas CTAs é a utilização de cores contrastantes alinhadas à sua marca.

Escolher corretamente onde colocar a CTA

Localização, localização e localização!

É preciso inserir a Chamada no local correto. Não adianta colocar uma CTA “Baixe o Guia Turístico” no início de uma página de contato, por exemplo.

É importante certificar-se de que a CTA esteja relacionada com o conteúdo da página em questão. Seu usuário precisa entender que a Call To Action “pertence” à página.

Nas publicações do seu blog, por exemplo, a CTA normalmente deve ser inserida no final do conteúdo. Ali ela se comporta como um portal para que o usuário “dê o próximo passo”.

Na barra lateral do blog pode ser utilizada uma Chamada para o usuário conferir a última novidade ou alguma tendência do momento.

Testar mudanças e analisar seus resultados

Uma outra boa prática (que deveria ser usada para tudo e por todos nesse planeta) é analisar os resultados das alterações.

Analisando a eficiência de uma CTA, uma boa meta é entre 1 e 2% de taxa de cliques.

Parece pouco mas se, dentre 100 usuários, dois clicarem na Chamada Para Ação, ela certamente está cumprindo seu papel de chamar atenção.

Se a CTA for numa Página de Captura, uma boa meta pode ser de 10%.

De todas as pessoas que visualizaram a Landing Page, ao menos 10% deve fazer a inscrição no formulário.

Estas são as boas práticas que aprendemos com a ajuda do pessoal da Hubspot, referência máxima em Inbound Marketing pra nós.

Tem alguma coisa para adicionar? Alguma sugestão? Algum outro macete para converter mais com as CTAs? Conte pra gente usando o campo de comentários abaixo. 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *